Clareamento dental - Dr. Jonas Rodrigues
321
page-template-default,page,page-id-321,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-theme-ver-16.8,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.2,vc_responsive
 

Clareamento dental

A alteração da cor do dente pode ser adquirida durante a vida, mas pode também ser congênita (aparece na fase de formação do dente) como é o caso da amelogênese imperfeita, dentinogênese imperfeita, hipoplasia de esmalte, entre outras.

A idade é uma das principais causas do amarelamento dos dentes. A camada externa de esmalte (de cor branca) vai se desgastando e as camadas mais internas (de cores amareladas) vão aparecendo. Essa mudança de cor varia de intensidade devido a ação conjunta de outros fatores como: placa bacteriana; tabagismo; traumatismo; algumas medicações; ingestão constante de café, chá, refrigerante de cola vinho tinto, etc.

O peróxido de hidrogênio – principal componente ativo de quase totalidade dos clareadores – em contato com o dente se decompõe em dois subprodutos: água e oxigênio. O oxigênio proveniente dessa reação é o responsável pelo clareamento propriamente dito, pois devido a seu baixo peso molecular, penetra no esmalte e na dentina e degrada as moléculas de pigmento, tornando-as menores e consequentemente menos pigmentadas.

Como clarear

Os dentes podem ser clareados através de géis oxidantes de duas maneiras:

♦ No consultório, onde o dentista utiliza gel oxidante em alta concentração durante um período menor de aplicação, além de fontes de calor – luzes, laser, plasma – para ativar e acelerar o processo;

♦ Em casa, onde o paciente, sob orientação do dentista, faz a autoaplicação de um gel oxidante de baixa concentração.

As vezes a combinação das duas técnicas torna-se necessária para se alcançar bons resultados.

Dicas

O dente clareado volta a escurecer, mas nunca como era antes. Após 1 a 2 anos pode haver necessidade de uma manutenção. A longevidade do clareamento depende do cuidado do paciente.

♦ Problemas dentais e gengivais devem ter prioridade sobre qualquer tratamento clareador;

♦ Não é recomendável clarear os dentes sem orientação profissional;

♦ Os produtos usados no clareamento dental não são prejudiciais à saúde desde que corretamente utilizados;

♦ O dente clareado não fica enfraquecido;

♦ As restaurações não sofrem ação dos clareadores, logo terão que ser trocadas após o clareamento.